Survival International

Ajude a acabar com as #escolas-fábrica na Índia

A filha de Jyotsna foi repetidamente drogada e estuprada em uma escola-fábrica em Maharashtra, na Índia.

Um milhão de crianças indígenas na Índia são "educadas" em escolas-fábrica - escolas que "reprogramam" crianças para que se encaixem na sociedade dominante.

Nessas escolas elas são ensinadas a sentir vergonha de quem são e de onde vêm. Um número assustador de crianças está sujeito a negligência e abuso: no estado de Maharashtra, quase 1.500 crianças morreram nessas escolas e 15 meninas foram repetidamente drogadas e estupradas em uma escola.

As escolas-fábrica procuram apagar a identidade indígena e ensinar as crianças a ver o modo de vida de seu povo como "retrógado" e as atividades industriais como "progresso", facilitando assim o roubo de terras indígenas. Algumas escolas são patrocinadas por grandes corporações e indústrias extrativistas que procuram explorar a terra, a mão-de-obra e os recursos das comunidades indígenas.

No Canadá, um inquérito descobriu que o sistema de educação em internatos para crianças indígenas no país constituía um genocídio cultural.

No entanto, na Índia, mais escolas-fábrica estão sendo construídas hoje, incluindo internatos onde as crianças veem as suas famílias apenas uma vez por ano.

A educação dos povos indígenas deve estar sob o controle dos povos indígenas.

Por favor, escreva ao Ministro de Assuntos Tribais para lhe dizer isso.

Acompanhe nossas campanhas e ações
Receba em seu email ações de nossas campanhas e atualizações sobre os direitos indígenas. E não perca nenhuma oportunidade de mostrar seu apoio aos povos indígenas de todo o mundo.

Nós levamos sua privacidade à sério. Jamais venderemos ou trocaremos seus dados pessoais com terceiros. Você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento no rodapé de nossos emails ou mudar a forma em que lhe contatamos enviando um email para [email protected]. Saiba mais sobre como protegemos e usamos os seus dados pessoais em nossa Política de Privacidade.